Teoria de finais de torres
Aulas Por Danilo Epitácio Quarta-Feira, 17 de agosto de 2016

O final de torre é sem dúvida a parte mais extensa e importante da teoria dos finais . Para se ter uma idéia de sua freqüência, basta dizer que 40% das partidas chegam à fase final, 60% são de torres e peões.
Esses finais apresentam-se freqüentemente na prática, a razão por isso acontecer é muito simples: as torres são as peças que geralmente entram em jogo mais tarde, após varias peças já terem sido trocadas. Os finais de torres são cheios de recursos, portanto, inúmeros são os finais teoricamente ganhos e outros empatados e numerosas são as regras e exceções no resultado dos finais de torres e peões que iremos estudar agora : 

Torre e peão x peão
Regra básica – “Se o rei (do lado mais fraco) puder alcançar a casa de promoção do peão ,a partida estará empatada, caso contrário estará perdida”. Esta regra não é de aplicação absoluta, em virtude de haver numerosas exceções, mas é sem dúvida de grande auxílio para a maioria dos casos.

Rei na casa de promoção
Na maioria das vezes há empate, que pode ser demonstrado pela clássica posição estudada pelo mais forte dos mestres franceses do séc. XVIII, o genial Philidor.

Diagrama 1

Esta posição pode ser considerada como chave de todos estes finais. A manobra de empate é simples, baseando-se na seguinte regra de Philidor:
“Quando o rei do lado mais fraco se encontra na casa de promoção, empata-se facilmente deixando a torre na 6ª horizontal à espera de que o peão chegue a 6ª casa da coluna em que se encontra. Então, quando este chegar, é só levar a torre para a 1ª horizontal, dando xeque-perpétuo ao rei. Caso este abandone o peão, o jogo estará claramente empatado porque perderá o peão”.
Veja uma continuação possível a partir do diagrama acima:
1. e5 Ta6! 
Mantendo a torre na 6ª horizontal.
2.Tc7 Tb6! 
Seguindo o conceito de Philidor.
3.Ta7 Tc6! 
Sempre com a mesma idéia.
4.e6 Tc1! 
Hora de levar a torre para a 1ª fileira e dar xeques sem parar.
5.Re5 Te1+ 
6.Rd6 Td1+ 
E o empate é facilmente conseguido.


Fonte:

  • Xadrez Básico (D`Agostini).
  • Fundamentos do Xadrez – Finais (L. Pachman).