Enxadrista de dez anos com deficiência visual se destaca no Nacional Escolar de Xadrez
Notícias Domingo, 30 de outubro de 2016

 

Artigo original: http://www.gazzeta.com.br/cego-enxadrista-de-dez-anos-se-destaca-no-nacional-escolar-de-xadrez

 

O Portal de Notícias Gazzeta publicou o seguinte artigo:

Um jovem enxadrista de apenas dez anos de idade foi o destaque do Campeonato Nacional Escolar de Xadrez que reuniu enxadristas de Pernambuco, Bahia e Minas Gerais em Petrolina, no último domingo (16). Ele é mineiro e o que chamou a atenção de pais, crianças e adolescentes que participaram do torneio não é o fato do garoto jogar xadrez muito bem, mas o de contornar, com muito talento, o que poderia ser uma limitação para muitos: a cegueira.

Vitor Eduardo de Queiroz Silva venceu na categoria 4º Ano Fundamental e também disputou com jogadores de outras categorias. O menino joga em um tabuleiro de xadrez feito especialmente para que ele possa tatear e identificar as peças e as casas, inclusive as do adversário. As peças dispõem de pinos que o fixam ao tabuleiro. As pretas se diferenciam das brancas por um pequeno pino na parte superior de cada peça. “[Comecei a jogar] xadrez quando a escola começou a ensinar”, disse Vitor, ao explicar o que o faz gostar do jogo. “O jeito de jogar, é interessante”.

Residente em Itatiaiuçu, na região metropolitana de Belo Horizonte, ele veio a Petrolina acompanhado pela mãe, Rosângela Queiroz Silva e da professora de xadrez da rede municipal de ensino, Joana Paula, que ministra xadrez em um projeto realizado nos últimos oito meses, para Vitor e outros 800 alunos. Outro professor, Marcos, da Associação Cepex, localizada em Itauna, próximo a Itatiaia, ofereceu uma bolsa gratuita a ele, para que Vitor se aprofundasse no xadrez e ao tomar conhecimento do torneio em Petrolina, fez a inscrição do garoto. “O xadrez melhora muito a concentração, memória, atenção e o respeito mútuo. Nas disciplinas de Matemática e Português ajuda muito”, disse Joana, sobre os efeitos do xadrez na vida de Vitor e dos demais alunos.

APTIDÃO – Mãe de Vitor, Rosângela Queiroz da Silva reforçou a percepção de mudanças positivas no comportamento de Vitor desde que ele começou a jogar xadrez. “Antes do xadrez, ele já era muito bom em matemática, muito inteligente. O xadrez foi bom para ele socializar com outras crianças”, disse. “Desde o primeiro dia que ele começou na escola ele mostrou aptidão para o xadrez. Ele se interessou muito e gosta e a gente tem que incentivar”, completou.

O presidente da Liga Brasileira de Xadrez, Agnaldo Melo dos Santos avaliou o desempenho de Vitor no campeonato. “Ele jogou xadrez muito bem. Venceu jogadores estaduais da categoria dele, alunos com dez, onze anos com histórico muito bom de xadrez na região”.

A realização do Nacional Escola de Xadrez da Liga Brasileira de Xadrez (LBX) em Petrolina também foi a primeira no Nordeste. O evento aconteceu no SEST/SENAT e contou com a participação de mais de 140 jogadores, disputando categorias do 1º ao 9º ano do Fundamental e Ensino Médio (masculino e feminino). A maior delegação de uma única escola presente no torneio veio de Itamotinga (BA) que enviou 17 jogadores da Escola Municipal Iracy Nunes. A premiação consistiu de troféus do 1º ao 5º de cada categoria.